31 de mai de 2015

Ponte de acesso a Jaguari desaba, e bitrem e carro caem em rio

Segundo a Brigada Militar, a ponte tinha cerca de 50 metros de altura

Ponte de acesso a Jaguari desaba, e bitrem e carro caem em rio Barney Medeiros/Especial
Foto: Barney Medeiros / Especial
A ponte de ferro Júlio de Castilhos, principal acesso de Jaguari, na Região Central do Estado, não aguentou o peso de um caminhão bitrem e de uma Saveiro e desabou por volta das 16h30min deste domingo. Esta é a 5ª ponte que cai na região nos últimos 13 anos.
Segundo informações da Brigada Militar, o bitrem, com placas de Santiago, e a caminhonete, com placas de Santa Maria, passavam pela ponte bem na hora em que ela cedeu.

A Saveiro caiu na água e ficou com as rodas para cima. O motorista, Diogo Patias, 30 anos, não sofreu ferimentos graves. Ele está internado no Hospital de Caridade de Santiago em observação porque engoliu muita água.

— Quando se passava de ônibus pela ponte, dava para perceber que ela ficava muito bamba. E não havia nenhuma placa avisando que corria riscos — afirmou o jaguariense Iuri Patias, 23 anos, primo de Diogo.

Parte do caminhão bitrem também chegou a despencar. A outra parte ficou pendurada na ponte, presa à cabine. O motorista, Marion Muskoph, 47 anos, sofreu ferimentos leves, foi atendido no Hospital de Caridade de Santiago e liberado.
Aqqnmt8pPu8bg5viX44lJ53mU33cBBO-CJRpI-VvU6mb
Foto: Cirino Crivellaro, Arquivo Pessoal
Segundo a Brigada Militar, a ponte tem mais de 100 anos e estaria sem manutenção.
O prefeito de Jaguari, João Mário Cristofari, garantiu que não havia restrições quanto à passagem de caminhões e bitrens. De acordo com o procurador jurídico do município, Eduardo Diefenback, há cerca de três anos a prefeitura foi questionada pelo Ministério Público sobre a situação da ponte, já que, segundo ele, a estrutura foi cedida pelo Estado em 1941, após uma uma enchente que atingiu Jaguari.

O procurador jurídico garantiu que uma vistoria do MP, feita em novembro passado, não detectou problemas estruturais na ponte, construída em 1899. A prefeitura garantiu, neste domingo, que não tem dinheiro para reconstruir a estrutura e vai pedir ajuda ao Estado.

Acesso alternativo
Com o principal acesso de Jaguari interrompido, o caminho para quem quer chegar à cidade é continuar seguindo pela BR-287 e, quatro quilômetros adiante da ponte, entrar no segundo trevo de acesso.
clicRBS

Nenhum comentário:

Postar um comentário