9 de fev de 2017

CIC VT entra na mobilização regional para que o novo plano de concessão de rodovias federais no RS seja eficiente

VALE DO TAQUARI

O tema foi predominante durante a reunião da entidade realizada na manha desta quarta-feira (8 de fevereiro), na sede da Associação Comercial e Industrial de Arroio do Meio (Acisam). 

O encontro reuniu boa parte da diretoria da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC VT) e teve ainda a presença da presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat),Cíntia Agostini. Na pauta do dia assuntos como o apoio da CIC VT para o  projeto Negócios em Pauta desenvolvido pelo Sindicado dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat) e o jornal A hora, as ações realizadas até agora pelo grupo responsável  pela nova bandeira da entidade,  que é a logística, além, do referendo da Câmara para a permanência do Oreno Ardêmio Heineck,no Conselho Superior da Federasul.  

A principal discussão foi sobre o novo plano de concessão de rodovias federais no Rs. O presidente da CIC VT, Ito José Lanius afirmou que a entidade está disposta a ajudar na construção. "Queremos um plano objetivo, o melhor para o Governo, mas que não prejudique o Vale do Taquari. Os pedágios são inevitáveis, o que precisamos saber é que tipo de contrato está sendo proposto, o que vamos gastar e receber em troca. Será que o governo vai incluir a manutenção e os investimentos no custo para o usuário da rodovia?"

Já a presidente do Codevat, Cíntia Agostini afirmou que o Conselho está analisando as 170 páginas do edital. "Nós não imaginávamos que seriam 2 pedágios em pouco mais de 100 kms. Vale ressaltar que a concessão é de 30 anos, isso é outra coisa que nos preocupa, além do prazo estipulado para o início de obras importantes como a duplicação do trecho até Tio Hugo e Iraí."

Cíntia destacou ainda que o projeto do governo federal prevê o teto máximo por praça no Vale do Taquari. Com isso, os custos de produção que vão aumentar muito. Um dos presentes citou o exemplo de uma empresa que gasta hoje em torno de R$5.000 por mês com pedágios. Com a instalação de novas praças, o valor vai passar de R$12.000 mensais. 

Na próxima semana, a Agência Nacional de Transportes Terrestres(ANTT) vai realizar a  primeira audiência pública em Porto Alegre para ouvir sugestões em relação a quantidade de obras, valores e a localização das praças. As lideranças regionais querem se preparar para esse encontro na capital e planejam se reunir na próxima segunda-feira, dia 13 de fevereiro, às 9h30 min, na Univates, em Lajeado. O grupo liderado pelo Codevat, com apoio da CIC VT, AMVAT, AVAT e demais entidades regionais vai tratar das seguintes questões;  número de praças de pedágio, cronograma de obras e uma mobilização para trazer uma audiência regional. O Codevat pretende apresentar na reunião, uma síntese do edital, além de projetos e prioridade da região. 

Foto: SWobeto editoria e Vídeo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário